ADRIANO GIFFONI - MELHOR DE 3 - CD

R$ 24,99

Disponibilidade: Em estoque

Código: CDAGMD3

Editora: Independente

Idioma: Português

Autor/Artista: Adriano Giffoni

Compositor: Adriano Giffoni

Instrumento: CD Instrumental

Formato: CD - Nacional

UPC: 7899720400169

Em seu 9º CD – Melhor de 3 – Adriano Giffoni, consagrado contrabaixista ( acústico e elétrico ), que já se apresentou pelos palcos do mundo com diversos artistas, também consagrados, mostra uma leitura bastante contemporânea do som instrumental, com misturas do jazz e MPB, que nos instiga a ouvi-lo várias vezes, sem cansar os ouvidos. Um trabalho de extrema delicadeza e cuidados em cada parte dele, mostram, muito claramente, o esmero e a disciplina, que são algumas das características fortes de Adriano Giffoni.


Músicas:

A MÚSICA QUE ABRE O CD É SAMBA DE MALANDRO. COMPOSIÇÃO DE ADRIANO GIFFONI COM TEMA TOCADO PELO BAIXO DE SEIS CORDAS E TEM COMO NOVIDADE O FATO DO BAIXO ACOMPANHAR O SOLO DA GUITARRA COM ACORDES
.
A SEGUNDA MÚSICA É TRÊS DA MANHÃ É UM SAMBA DE ADRIANO GIFFONI COM TEMA TOCADO PELA GUITARRA EM COMPASSO 3/4

A TERCEIRA MÚSICA É SAMBA BRABO, COMPOSIÇÃO DE FELIPE POLI COM TEMA FEITO PELA GUITARRA.

RIO – SEOUL, É A QUARTA MÚSICA DO CD, É UMA BALADA FUNK COMPOSTA PELO BATERISTA CÉSAR MACHADO QUE FAZ TAMBÉM UMA PARTICIPAÇÃO VOCAL COM FELIPE POLI. O BAIXO DE SEIS CORDAS TOCA O TEMA PRINCIPAL.

MELHOR DE TRÊS É UM SAMBA DE ADRIANO GIFFONI EM COMPASSO 3/4 QUE TEM A PARTICIPAÇÃO DO SAXOFONISTA TINO JÚNIOR TOCANDO O TEMA PRINCIPAL E IMPROVISANDO. O BAIXO FRETLESS (SEM TRASTES) DOBRA O TEMA DANDO UM TIMBRE ESPECIAL À MUSICA.

ESTRADAS DE MINAS É UMA TOADA COMPOSTA POR ADRIANO GIFFONI COM TEMA TOCADO COM O SAX TENOR DE TINO JÚNIOR. NESSA MÚSICA O BAIXO ACÚSTICO NA BASE FAZ A DIFERENÇA NA SONORIDADE DO GRUPO.

NAMORALICE É UM FUNK COMPOSTO POR CÉSAR MACHADO E QUE TEM COMO NOVIDADE O TEMA TOCADO PELO BAIXO FRETLESS (BAIXO SEM TRASTES) E NAS IMPROVISAÇÕES A MÚSICA VAI GANHANDO UM ACENTO JAZISTICO COMANDADO PELO BAIXO ACÚSTICO QUE FAZ A BASE DA MÚSICA E IMPROVISA.

SOLIDÃO À DOIS É UMA BOSSA NOVA COM TEMA FEITO PELA VOZ DE FELIPE POLI QUE TAMBÉM É O AUTOR DA MÚSICA E TOCA VIOLÃO E GUITARRA. A BATERIA TOCADA COM VASSOURINHAS POR CÉSAR MACHADO DÁ O TOQUE DE SUTILEZA.

AUTORRETRATO É UMA BOSSA NOVA DE ADRIANO GIFFONI COM TEMA TOCADO PELO BAIXO DE SEIS CORDAS E DOBRADO NA PRIMEIRA PARTE COM O BAIXO FRETLESS( SEM TRASTES).

DUO NÚMERO 1 É UMA COMPOSIÇÃO PARA BAIXO E BATERIA DE ADRIANO GIFFONI COM PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DO BATERISTA AMARO JÚNIOR. NESSA MÚSICA O CONTRABAIXO DE SEIS CORDAS MOSTRA AS VÁRIAS POSSIBILIDADES DO INSTRUMENTO, HARMONIZANDO, FAZENDO PERCUSSÃO E TOCANDO O TEMA COM ACORDES. NO MEIO DO TEMA TEM UM DUELO DO BAIXO COM A TÉCNICA DE SLAP COM O SOLO DE BATERIA.

TIJUCA É UM SAMBA FUNK DE ADRIANO GIFFONI COM PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DE TINO JÚNIOR NO SAX TENOR FAZENDO O TEMA E IMPROVISANDO, OS OUTROS IMPROVISOS SÃO DE BAIXO E GUITARRA.
 

Crítica, por Aquiles Rique Reis, músico e vocalista MPB4

Quando se fala em contrabaixo acústico, Adriano Giffoni é referência. Com esse instrumento e com os diversos sons que variam de acordo com cada um de seus formatos – de quatro, cinco e seis cordas –, o músico realça sua genialidade a cada solo, a cada improviso.
Se por um lado ele é sabidamente um instrumentista virtuoso, por outro sabe-se também, desde principalmente o seu disco anterior Encontro das Raças, que Adriano Giffoni é também um ótimo compositor e arranjador.

Pois agora ele lança o disco Melhor de Três (independente), para o qual convidou dois amigos instrumentistas craques como ele: o guitarrista e violonista Felipe Poli e o baterista Cesar Machado. Igualmente compositores, com músicas gravadas neste álbum.

Tudo tem início com “Samba de Malandro”, de autoria de Adriano Giffoni. O suingue está nas mãos do baterista. A guitarra toca a melodia e logo depois se entrega a um solo cheio de bossa. O baixo elétrico de seis cordas segura as pontas e a todos aproxima com seu som encorpado. A criatividade dos instrumentistas reflete-se na empolgação servida aos ouvintes em bandeja de prata. O arranjo – nas onze faixas do CD eles são coletivos – cresce com a sacada de Giffoni de dar apoio a um dos solos da guitarra tocando o baixo em acordes... Supimpa.

“Três da Manhã” é outro bom samba de Adriano Giffoni.
Os três começam tocando juntos, pulsando num compasso de samba diferente daquele a que estamos acostumados. O sabor do ritmo é acentuado pela pegada da bateria. O coro come. A guitarra e o baixo elétrico revezam-se em solos. A bateria, sempre muito segura, contribui para arredondar o som e torná-lo ainda mais saboroso.

“Melhor de Três” (Giffoni), como “Três da Manhã”, é um samba em ¾, e tem a participação do sax tenor de Tino Júnior, que se encarrega de puxar o tema. O trio segura a onda. A peteca não cai. A guitarra improvisa por diversos compassos. Logo é o sax que improvisa, seguido por um solo do baixo fretless de seis cordas. Para fechar a tampa, o sax retoma a melodia, em seguida improvisa e leva ao final.

“Namoralice” (Cesar Machado) tem bela melodia tocada pelo baixo acústico fretless. A guitarra trisca em acordes, enquanto a bateria acentua o ritmo. O tema jazzístico tem ainda um improviso do baixo, seguido por outro da guitarra. O baixo retoma o solo. Lindo.

“Solidão a Dois” (Felipe Poli), uma bossa nova com o balanço que marca o gênero, tem melodia a cargo de um duo de guitarra e voz de Poli. Suingue saboroso, que faz o ouvinte balançar o corpo. O baixo fretless de seis cordas engorda a pegada. A bateria segura o tranco.

“Duo Número 1” (Giffoni) tem apenas a bateria e o baixo elétrico de Giffoni. Então, cada um em seu momento, enlouquecem em improvisos arrebatadores. Meu Deus!

Multi-instrumentista das cordas, Giffoni, mais Poli e Machado, encontram na diversidade sonora o centro para buscarem o norte da música popular instrumental brasileira, uma das melhores e mais ricas do mundo.

Por: Aquiles Rique Reis, músico e vocalista MPB4

1-Samba de Malandro
2-Três da manhã
3-Samba Brabo
4-Rio-Seoul
5-Melhor de 3
6-Estradas de minas
7-Mamoralice
8-Solidão à dois
9-Autorretrato
10-Duo Número 1
11-Tijuca